Marco de 1888

Março de 1888

2 de março
Venho da casa do Aguiar. Lá achei Fidélia, um primo desta, filho do desembargador, aluno da Escola de Marinha (16 anos) e um empregado do Banco do Brasil. Passei uma boa hora ou mais. A velha esteve encantadora, a moça também, e a conversaçăo evitou tudo o que pudesse lembrar a ambas a respectiva perda, uma do esposo, outra do filho postiço. Contavam-se histórias de sociedade, que eu ouvi sorrindo, quando era preciso, ou consternado nas ocasiőes pertinentes. Também eu contei uma, de sociedade alheia e remota, mas o receio de lembrar ŕ viúva Noronha alguma terra por onde houvesse andado com o marido me fez encurtar a narraçăo e năo começar segunda. Entretanto, ela referiu duas ou tręs reminiscęncias de viagem, impressőes do que vira em museus da Itália e da Alemanha. Da nossa terra dissemos coisas agradáveis e sempre de acordo. A mesma torre da Matriz da Glória, que alguns defenderam como necessária, deixou-nos a nós, a ela e a mim, concordes no desacordo, sem que, aliás, eu combatesse ninguém. O casal Aguiar ouviu-nos sorrindo; o moço da Escola de Marinha tentou, em văo, suscitar a questăo militar.
Com isso e o mais enchemos a noite. Ninguém pediu a Fidélia que tocasse, embora me digam que é admirável ao piano. Em compensaçăo, ouvimos-lhe dizer alguma coisa de mestres e de páginas célebres, mas isso mesmo foi breve e interrompido, pode ser que lhe lembrasse o finado. Saí antes dela. Ouvi ao Aguiar que daqui a dois meses começará as suas reuniőes semanais.
10 de março
Afinal houve sempre mudança de gabinete. O Conselheiro Joăo Alfredo organizou hoje outro. Daqui a tręs ou quatro dias irei apresentar as minhas felicitaçőes ao novo ministro dos negócios estrangeiros.
20 de março
Ao Desembargador Campos parece que alguma coisa se fará no sentido da emancipaçăo dos escravos, — um passo adiante, ao menos. Aguiar, que estava presente, disse que nada corre na praça nem lhe chegou ao Banco do Sul.
27 de março
Santa-Pia chegou da fazenda, e năo foi para a casa do irmăo; foi para o Hotel da América. É claro que năo quer ver a filha. Năo há nada mais tenaz que um bom ódio. Parece que ele veio por causa do boato que corre na Paraíba do Sul acerca da emancipaçăo dos escravos.